mobilidade corporativa

Veja agora como aplicar o conceito de mobilidade corporativa

mcc2019 News

A mobilidade corporativa está revolucionando a maneira como as empresas operam, melhorando a comunicação entre os gestores, colaboradores, fornecedores, investidores e clientes. O aumento da eficiência e da produtividade com qualidade são alguns dos benefícios percebidos.

Porém, a implementação dessa estratégia pode não ser tão simples. Ela demanda planejamento para a identificação de desafios, uso das tecnologias certas e aplicação correta dos processos. Por isso fizemos este post. Queremos ajudar você a entender melhor o conceito de mobilidade corporativa para tirar o melhor proveito dela. Confira!

O que é mobilidade corporativa?

A mobilidade corporativa representa uma tendência global em que as empresas passam a formar estações de trabalho remotas. Basicamente, o método engloba o uso de dispositivos móveis (notebooks, tablets e smartphones) pessoais ou da empresa, acesso à internet e softwares hospedados em nuvem (plataformas de trabalho unificadas online).

A integração entre essas tecnologias permite centralizar os dados e tarefas de uma empresa em um único local, facilitando a comunicação, controle de recursos, planejamento de tarefas e monitoramento dos resultados.

Quais as vantagens da mobilidade corporativa?

A flexibilidade e eficiência proporcionada pela mobilidade corporativa levam a outros benefícios importantes aos negócios.

Gestores e colaboradores podem manter uma comunicação ininterrupta e obter informações em tempo real. A mobilidade corporativa também permite que os profissionais em campo participem de reuniões e decisões internas, mesmo estando a quilômetros de distância da empresa.

Além disso, plataformas de trabalho online permitem reunir todos os dados gerados em um único local, economizando o tempo gasto com pesquisa e análise. A consolidação das informações em uma base de dados unificada também facilita a implementação de estratégias de segurança.

A flexibilidade que a mobilidade oferece deve aumentar a velocidade operacional dos profissionais. Como tudo é feito por meio de um dispositivo móvel e com apenas alguns cliques, os processos ficam mais simples e, consequentemente, rápidos para serem concluídos.

A criação de estações de trabalho remotas também devem reduzir custos relacionados ao aluguel, adequação, compra de materiais e equipamentos para manter escritórios e lojas físicas.

Visando essas vantagens, muitas empresas estão passando por uma verdadeira transformação digital e difundindo o conceito de mobilidade corporativa de maneira bem positiva.

Como implementar a mobilidade corporativa?

Para ter sucesso com a estratégia, as empresas precisam adotar uma política clara para o uso dos recursos, bem como um plano de gerenciamento completo para entregar padrões de segurança e governança aceitáveis. Abaixo, listamos os principais passos. Confira!

1. Avalie a importância de contar com a estratégia

Antes de implementar uma estratégia de mobilidade corporativa na empresa, você deve entender bem o que ela representará para o negócio e por que precisa dela. Ao mesmo tempo, é importante avaliar os níveis de experiência que tem em tecnologias móveis e os desafios que enfrentará no processo.

Nesse caso, pesquise como a mobilidade agregará valor à experiência dos colaboradores e dos clientes usuários. É importante descobrir como ela fará a diferença no negócio e afetará o desenvolvimento e venda de produtos e serviços.

Identifique os riscos, as oportunidades que podem ser aproveitadas pela mobilidade e, principalmente as maneiras de capitalizá-la. O objetivo é ter uma visão 360 graus da mobilidade corporativa, suas possibilidades, impacto nos negócios, usuários, clientes, produtos, ROI (Return on Investiment) e os benefícios em longo prazo.

2. Elabore um plano de implementação

Depois de descobrir como as operações de negócios podem ser mais bem-orientadas por meio das soluções móveis, o próximo passo é criar um plano holístico, incluindo todos os parâmetros e considerações sobre a mobilidade na empresa.

Esse plano deve abranger, por exemplo, o nível de maturidade digital que a empresa tem, a visão corporativa, os requisitos de segurança, a necessidade de treinamento dos envolvidos e os recursos de TI. Com essas informações, ficará mais fácil planejar a implementação e integração das tecnologias móveis.

3. Defina os dispositivos e tecnologias

Não há limites para as possibilidades quando o assunto é desenvolver aplicativos e softwares para fins comerciais. Porém, o objetivo deve ser sempre promover uma integração que resolva rapidamente os problemas dos clientes e aumente a produtividade dos colaboradores em todos os níveis departamentais.

Com relação aos dispositivos, é preciso definir se eles serão fornecidos pela empresa ou adquiridos pelos próprios profissionais. Dependendo da decisão, diferentes políticas de segurança e estratégias de controle de custos e investimentos devem ser adotadas.

Por exemplo: fornecer os dispositivos elevará os custos pela necessidade de investimentos em aquisições, manutenções e renovação dos modelos, mas a empresa terá maior controle sobre o uso, o que aumenta a segurança de rede e de dados.

Falando nas tecnologias de integração, independentemente de fornecer ou não os dispositivos móveis, a empresa precisará desenvolver um ambiente online seguro para os trabalhadores e gestores atuarem. Uma plataforma com acesso controlado por logins e senhas será essencial.

4. Busque parceiros experientes

A próxima etapa deve ser a criação de uma estrutura para padronizar as operações e a infraestrutura de TI. Os profissionais de tecnologia devem obedecer aos regulamentos de TI existentes e às políticas de segurança de dados, fazer o gerenciamento de riscos, oferecer suporte adequado, monitorar e restringir acessos e parametrizar o BYOD (Bring Your Own Device) quando a responsabilidade pelos aparelhos for transferida aos colaboradores.

Caso não tenha um setor de TI experiente no ramo, será necessário fazer a parceria com um provedor de mobilidade corporativa. Uma empresa terceirizada pode oferecer os recursos mais relevantes para impulsionar o desenvolvimento sustentável do negócio, enquanto a equipe de TI interna apenas monitora o desempenho da infraestrutura.

Se escolher o provedor certo, receberá um suporte completo, com serviços gerenciados, talentos para promover a inovação, agilidade, escalabilidade, alto desempenho, conformidade com as políticas de segurança, gerenciamento de autenticação de logins, análise e gerenciamento de dispositivos, aplicações e conteúdos.

5. Estabeleça um cronograma

Depois de definir todos os aspectos da estratégia de mobilidade corporativa, é hora de elaborar um cronograma para executar o plano de implementação. Considere as prioridades organizacionais, metas de negócios, requisitos departamentais e necessidades de treinamento dos profissionais, sejam eles de TI, sejam eles de outros setores.

Faça uma projeção dos resultados esperados na linha do tempo e monitore a evolução para corrigir desvios, mantendo o plano dentro do prazo e de acordo com o que foi projetado. Para melhorar, prepare uma estrutura de governança que dê uma direção clara para a execução do projeto e estabeleça um alinhamento com as operações do negócio.

Quais as consequências de não usar a mobilidade corporativa?

As empresas que ignorarem a evolução perderão força competitiva com o tempo, pois manterão processos ineficientes, gastando mais para ter resultados cada vez menores e com qualidade inferior. Em um mercado cada vez mais acirrado, esse é um erro que pode custar a falência de muitos negócios.

A implementação da mobilidade corporativa é um processo que afetará toda a empresa. Ela mudará a forma como os negócios serão realizados, impactando o jeito de trabalhar dos profissionais. Por isso, é importante que busque apoio especializado e conscientização por parte dos colaboradores.

E você, já usa a mobilidade corporativa no negócio? Compartilhe a sua experiência nos comentários!

Compartilhe este Post